O 10 melhores métodos para estudar para concurso público: Você conhece todos?

Existem técnicas de estudo que visam diminuir o desgaste energético e emocional de uma pessoa, ao mesmo tempo em que a entretém e aumenta a absorção do conteúdo e do aprendizado.

Para quem faz concurso, isso é essencial! Se você deseja saber quais esses métodos para estudar para concurso público, confira os 10 melhores a seguir!

PUBLICIDADE

10 métodos para estudar para concurso público

1. Faça resumos

Uma das técnica tradicionais mais funcionais é fazer resumos dos conteúdos estudados. Transformar longas e densas leituras em poucos parágrafos e tópicos explicativos ajuda muito nos dias seguintes de estudo.

Resumos representam economia de tempo na vida do concurseiro, já que um resumo bem feito tem capacidade de dizer tudo em menos palavras.

PUBLICIDADE

Além da matéria “nua e crua” no seu resumo, procure fazer transcrições explicando com suas próprias palavras, o que facilita a memorização mais ainda.

Para fazer um bom resumo, a leitura primária deve ser impecável. Para saber o que vai entrar no seu resumo, gripe ou marque no texto e depois transcreva para seu resumo citando palavras-chaves principais e ainda explicações com as próprias palavras para facilitar o entendimento e a absorção.

2. Faça mapas mentais

Como um upgrade dos resumos, o mapa mental faz parte das técnicas de memorização visuais, ou seja, é bater o olho para aprender.

PUBLICIDADE

Um mapa mental possui uma estrutura ramificada a respeito de determinado assunto, em que um tópico principal puxa outros menores dentro de si.

O resultado na folha de papel é mais como um desenho do que um texto, e isso facilita muito a memorização.

Uma boa dica é fazer mapas mentais de matérias que você achar mais difícil ou de algum conteúdo cheio de detalhes que precisa de mais atenção, e colocar exposto na parede do quarto num local de boa visibilidade.

3. Faça gravações de áudio

Para aguçar a memória auditiva, você pode gravar suas explicações em formato de áudio e ouvi-las sempre que quiser e puder estudar.

Enquanto vai estudando ou até mesmo lendo em voz alta seus resumos e explicações, grave com um gravador no smartphone, depois é só salvar o áudio e mantê-lo como arquivo para revisões.

Além de criar um novo conteúdo para você estudar, você treina sua capacidade de explicação em voz alta!

4. Experimente a Técnica da Explicação

Falando em capacidade de explicação, este também é um outro método de estudo eficaz. Entenda: Se você não sabe explicar um assunto para alguém é porque você não o domina ou não tem autoridade sobre. E muitos concurseiros acham que, só porque já leu uma lei 1 ou 2 vezes, já entende tudo. Nem sempre é assim!

Para testar seu nível de explicação sobre algo, grave-se dando uma aula! Pode ser por meio de áudio ou vídeo, apenas selecione algum conteúdo e tente explicá-lo em voz alta.

Ou ainda escolha uma pessoa para fazer a explicação para ela e veja se ela entendeu ao final; se sim, significa que você tem bom entendimento sobre o assunto. Explicar em voz alta é eficaz porque cria novas conexões cerebrais e te faz memorizar por mais tempo.

5. Pratique a fixação de conteúdo com música

Alguma vez você já se perguntou por que você se lembra de uma música que ouviu na infância, mas lembra de pouco ou nada de uma matéria do ensino médio?

Isso é porque seu cérebro mantém por mais tempo informações “agradáveis” do que informações mais “técnicas”. A curva do esquecimento para assuntos que você absorveu “por obrigação” é bem menor!

Ou seja, seu cérebro adora entretenimento, como filmes, músicas, momentos felizes que você viveu, etc. Sendo assim, por que não tornar seus estudos algo divertido também para memorizá-los por mais tempo?

Uma solução para isso é inserir um ritmo musical em tópicos sobre determinado assunto, criando uma música, com rimas e versos divertidos. Os professores não fazem isso na escola à toa! Funciona mesmo porque entretém sua mente e não parece “obrigação”.

6. Pratique a fixação de conteúdo com frases ou siglas

Outra técnica de fixação é criar frases ou siglas, de preferência divertidas, para garantir a memorização.

Exemplo: As finalidades da pena de condenado no Direito Penal são o Saci PeReRê. Como assim? Prevenir novas condutas delituosas; Retribuir – ao mal do crime o mal da pena; e Reintegrar o condenado à convivência social.

Outro exemplo: Uma sigla muito usada pelos concurseiros da velha guarda é a LIMPE, relativa aos princípios constitucionais do Direito Administrativo: Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência; é bem mais fácil se lembrar da sigla LIMPE, né? Crie suas próprias siglas e frases!

7. Faça anotações em bloquinhos (post its)

Lembra das palavras-chave dos seus resumos? Que tal reduzi-las a post its e “decorar” o ambiente com eles?

Seja na escrivaninha do seu escritório, na sua agenda ou caderno, no espelho do guarda-roupa, na porta do quarto ou ainda na porta da geladeira, os posts its podem ser colados em qualquer lugar para te auxiliar na memória visual do conteúdo estudado.

Essa técnica é simples e ajuda muito na vida do estudante. Post its são pequenos, então você tem a “obrigação” de escrever pouco nele, com tópicos, palavras de destaque, no máximo uma ou duas frases.

É excelente para a fase de revisão e de lembranças de conteúdo na reta final dos estudos. Experimente uma cor de papel para cada matéria, ou cada posição na parede para uma matéria específica, por exemplo.

8. Treine com Flash Cards

Já ouviu falar nos flash cards? São papéis que contém uma pergunta importante de um lado e a resposta do outro lado. É ideal também para a época de revisão pré-prova. Você pode montar perguntas e respostas e pedir que uma pessoa te auxilie!

Faça vários flash cards, entregue para alguém, daí você puxa um aleatório da mão dela, ela lhe faz a pergunta e afirma se você acertou ou errou a resposta. É como uma prova oral que testa seu aprendizado e capacidade de explicação.

9. Simule provas

De nada adianta ler tudo, ver videoaulas, fazer resumos e tudo mais, se você não colocar seus conhecimentos em prática.

Testar-se! E muito mais que responder questões fechadas ou abertas de vez em quando, é ideal que você faça simulações de provas semelhantes à que você vai fazer logo menos.

Para isso, faça periodicamente simulação das provas simulando inclusive as condições que o concurso estabelecer: horas para responder as questões, número de questões, redação ou não, e assim vai.

Tem gente que faz de 15 em 15 dias, ou de 7 em 7 dias, depende muito do ritmo de cada um. Eu mesma (autora deste texto), quando prestei concurso e passei, simulava uma prova todo sábado! Ajuda muito!

10. Estude em grupo

Por fim, mais um método importante é procurar estudar em grupo. Isso pode ser feito presencialmente com pessoas que vão prestar o mesmo concurso que você, ou ainda por meio de fóruns de dúvidas ou por troca de e-mails.

Presencialmente é melhor, pois oferece chances de um estudo mais dinâmico, em que os envolvidos podem tirar dúvidas, debater o tema, compartilhar técnicas de memorização entre si, compartilha resumos feitos e muito mais.

Mas isso também é possível fazer por métodos online, como em grupos de dúvidas, fóruns de cursos, grupos nas redes sociais, e-mail e muito mais.

Procure interagir com concurseiros que tenham os mesmos objetivos que você, sempre podemos aprender mais e mais com as pessoas, sejam alunos, professores, já aprovados ou ainda não em seus concursos dos sonhos.